Todos os textos são originais e propriedade exclusiva do autor, Gasolina (C.G.) in Árvore das Palavras. Não são permitidas cópias ou transcrições no todo ou/e em partes do seu conteúdo ou outras menções sem expressa autorização do proprietário.

sexta-feira, 26 de março de 2010

O livro negro dos homens (cinco)

Tenho dias em que as palavras se organizam em largas avenidas, sem traços a delimitarem beiras, sem riscos contínuos ou entrecortados pelos solavancos do cuidado.

Abrem-se em estradas, tudo muito claro e belo e nítido, dias em que a vida se simplifica pelo carácter da palavra.

Há uma palavra para cada cois, cada sentir, cada piscar de olhos e nada se mistura ou há confusão no que se quer dizer.

Sabe-se dizer, sabe-se explicar.

Tudo claro, as palavras, claras, a vida clara das avenidas com que traço os meus caminhos e atinjo lares quentes e harmoniosos onde sou sempre benvinda.



(a meio do Tejo, 02-02-2010)

7 comentários:

marisa disse...

Querida Gasolina, as tuas largas avenidas de palavras, mas também as tuas estradas sinuosas ou os teus becos sem saída, chegam sempre até mim e sim, podes ter a certeza que és sempre benvinda.

Um beijo levado pelo Rhein

marisa

tiaselma.com disse...

Gasolina, desconfio que as palavras caminham a seu lado... Esperam sua respiração. Apenas.

Beijocas.

Alien8 disse...

Eu também tenho. Exactamente o que tão bem (d)escreveste. Pergunto-me se esses dias não serão secretamente preparados quando o vento nos leva as folhas... Estás a pôr-me a pensar, não há dúvida.

Gasolina disse...

Marisa,

Eu creio nas tuas palavras, no teu sentido, nas tuas escolhas. Ou não fosses tu Olheira-Mor desta Árvore.

Mas tantas vezes escrevo e vejo que não sei fazê-lo.

Mas gosto de chegar a ti. Saber-me esperada por ti e sempre tão bem acolhida.

Abraço Marisa. Do tamanho do Tejo

Gasolina disse...

Selma,


Agora... fiquei corada (!!!)

(Que é que eu digo?!)

Obrigado, sempre.

Dias de sol, já amornados, agumas pingas de chuva. Vai tudo pelo Oceano, um cheirinho até aí.

Gasolina disse...

Alien8,

Que alivio!
Bom... Se bem que num Alien8 isso deva ser normal... muito mais tangível que numa mísera terráquea!

Fala-me dessas tuas avenidas, das folhas que se escapam. Gosto de saber que não sou só eu.

Papoila - BF disse...

Serás sempre muito bem vinda. Gosto tanto do teu jogar com as palavras por essas largas avenidas :)

BF