Todos os textos são originais e propriedade exclusiva do autor, Gasolina (C.G.) in Árvore das Palavras. Não são permitidas cópias ou transcrições no todo ou/e em partes do seu conteúdo ou outras menções sem expressa autorização do proprietário.

quarta-feira, 13 de maio de 2009

Cabeças

É dificil concentrar toda a força no acto de quem projecta ao longo do braço o mundo, os mundos, tantas outras galáxias que não são do conhecimento do humano, despejando imagens encriptadas em letras e fazer entender(-se) que por vezes esse gesto provém de um monstro onde várias cabeças se degladiam para tomarem vez e voz. Mais ainda se cada um desses guerreiros é exímio no manejar dos argumentos. Maior a dificuldade se tem a habilidade bastante para usar do sentir como escudo partindo claro, para o contra-ataque.
É que para escutar um nem sempre se atenta aos demais e ou cai-se num amadorismo remendado ou então - e fatalmente- cortam-se as outras cabeças impedindo a torneira pragmática de pingar uma gota mais que seja.
Mas o que dói mesmo é que se o mal/bem for cortado pela raiz também a nossa cabeça rola e muda a partir de então nessas bocas que expelíam letras, inevitável será sentir que se é gente pela metade.

5 comentários:

Teresa Durães disse...

e ser gente pela metade... é não viver

Gasolina disse...

Teresa,

É fazer de conta.
É respirar. Ponto.

marisa disse...

imagino que sejam "eles" de novo (ou sempre) a disputarem a atenção...
um beijo...para todos
marisa

Arabica disse...

pela metade, não é gente.

Beijos

triliti star disse...

amanhã, ou seja, mais logo, volto cá e, já sem sono, espero, vou fazer nova leitura pois desta vez isto tansportou-me para a política, políticos e politiquices.

mas deve ser o sono que já não me permite um raciocínio claro.

por isso vou voltar.