Todos os textos são originais e propriedade exclusiva do autor, Gasolina (C.G.) in Árvore das Palavras. Não são permitidas cópias ou transcrições no todo ou/e em partes do seu conteúdo ou outras menções sem expressa autorização do proprietário.

terça-feira, 19 de fevereiro de 2008

Vénias

Já tive pés. Não me recordo quando, deve ter sido há muito, muito tempo mesmo que já nem sinto falta deles.
...Lembro-me que dançava. Bem. Muito bem.
Depois fiquei sem pés, cortaram-nos, amputaram-mos. Não quero recordar o porquê, não sinto falta dessa dor.
...Lembro-me que fiquei sem préstimo. Serventía nenhuma. Para nada.
Resolvi então ser árvore, habituada a estar de pé, segurar a figura.
Foi quando me cresceram muitos pés, fios de pés cheios de veias que se infiltraram na terra.
...Lembro-me que fiquei surpresa. Muito. E feliz.
Tenho vindo a ensaiar as vénias. Aos poucos, com muito esforço. Como fazía quando dançava.
Talvez venha a perder um dia estas raízes e me voltem a crescer os meus dois pés. Voltarei a dançar. Voltarei a dobrar-me para agradecer.
...Não me vou esquecer quando fui árvore.

32 comentários:

Aspásia disse...

SEMPRE UMA IMAGINAÇÃO INAUDITA, NESTAS ÚLTIMAS HISTÓRIAS DE QUE ÉS RAIZ E ALIMENTO...

FELIZES AS PALAVRAS QUE SÃO FOLHAS DO TRONCO DE QUE ÉS RAIZ!

COMO DA TERRA NASCE A ÁRVORE
DA GASOLINA NASCE O VERBO (ESCREVER)...

BEIJINHO ENRAIZADO :)

poetaeusou . . . disse...

*
raízes da excepção,
podem morrer de pé,
sublime,
é morrer . . .
fazendo vénias !!!
,
conchinhas
,
*

M. disse...

Eu sei deles. Algures, em estado latente porque as condições não são ainda propícias. Mas germinam.. Até um dia. Estarei para aplaudir quando te dobrares numa vénia.

Lindíssimo Gas,lindíssimo como tu.

Beijos

gasolina disse...

ASPÁSIA,

JUNTAR DUAS COISAS QUE ME DÃO MUITA FELICIDADE: A DANÇA E A ESCRITA.

TALVEZ SE MIMETIZEM E UM DIA, QUEM SABE, EU APAREÇO MESMO COMO ÁRVORE, DESAPARECENDO...

UM BEIJO MINHA JARDINEIRA.
TU CUIDAS BEM DESTA ÁRVORE.

gasolina disse...

Poeta Eu Sou,

Gostaría de ser digna até ao fim das minhas palvras, da minha vida.
Como as árvores.

Obrigado, Poeta da Nazaré.

BEI/de MARÉ

Mateso disse...

Não dança a árvore embalada na brisa da vida?
As raízes cortam-se e renascem sempre, o tronco não pode secar.
Bj.

pin gente disse...

com a ajuda do vento sigo-o na sua dan�a e ondulo os meus bra�os que s�o tantos
agarro-o pela cintura e permito-me pensar que sou eu quem o faz voar
piano andamos nas tardes de acalmia e em tango nas noites de luar
nossa dan�a n�o tem fim mas, quando por momentos paramos, ouvimos no ar o aplauso das folhas
cansados, encetamos uma coregrafia novamente abra�ados... s� pelo prazer de dan�ar


um beijo

papagueno disse...

Que linda história acho que seria horrível não ter pés. Quanto a ser árvore só há um problema, estar sempre no mesmo sítio.
bjks

pin gente disse...

pelos meus pés te levei e não pedi licença.
se me trazes pela mão não tens que mo pedir
a honra é e será sempre minha

vou ter doze palavras para ti no pin... um desafio

abraço
luísa

Abssinto disse...

É essa sabedoria, precisamente.

ET disse...

Pelo menos com as palavras danças maravilhosamente como ninguém!
Faço-te uma vénia (não só por isso mas também - e não é que acabou por rimar!!!).

Beijinhos,

Amilcar Garcia disse...

Ser assim quase eterno… deve ser interessante que tudo passe ao redor; crescer abraçando a terra, estrangulando a pedra e sentindo que um rio sereno circula dentro… “Ser árvore”; Ser longevo como a indecisão de ser… procurando uma nova concientiza… ¡Saludos Gas! Me gusta!...

Benó disse...

As árvores morrem de pé e os agradecimentos com vénia, isto num palco, pois eu prefiro agradecer de pé.
Estou a ver uma árvore com muitas raízes de onde brotarão outras árvores, outras vidas que encherão a terra.
Seja Feliz e
Bom fim de semana.

samuel disse...

Que texto do caneco!...

Abreijos.

laura disse...

Às vezes também consigo sentir-me assim. Como se dançasse, dançasse sempre e sempre e sempre...

Moonlight disse...

Mesmo presa à terra as suas folhas dançam ao som do vento, nada nos prende nem mesmo o envelhecimento. A alma amadurece mas viverá sempre intensamente até ao fim dos dias.

No meu caso é claro :)

Beijo

S.M.R disse...

Ao ler deixaste uma lágrima...de saudade.
...tenho saudades de ter tempo para pairar debaixo da tua arvore grande e forte!
Agarra-te de novo e não te surpreendas de teres tanta gente a seguir a tua sombra...tu mereces tudo, ensinas tanto da vida com as tuas palavras que traduzem sabedoria.
Obrigada Gas.

não te posso pedir que fiques, mas posso te dizer que sempre te adorei...

confesso que sinto imensa falta destes teus textos, pensamentos, verbos, de tudo, mas sou eu que não tenho estado presente nesta bela arvore!
talvez tudo acalme...talvez...talvez

Uma Vénia faço eu para ti!!!
Um beijo Enorme minha Rainha Arvore!
Sony com saudade.
Agarra-te forte à terra!
Não deixes que te sacudam e te deixem as raízes de fora NUNCA!
ADORO-TE
SONY

gasolina disse...

Mateso,

Assim espero que aconteça às minhas palavras. Mesmo que o tempo as corte que sempre renasçam para dançar e plantar-se.

Um beijo e obrigado por tão poético comentário.

gasolina disse...

Pin,

Qualquer coisa que te diga para além de BELO e OBRIGADO, serái estragar.

Um beijo, Luísa

gasolina disse...

Papagueno,

Tens razão.
Mas garanto-te que quando deixei a dança senti-me sem pés, amputada.

Da árvore fica intemporalidade. Como as palavras.

Um beijo grande para ti.

gasolina disse...

Pin,

Muito obrigado pelo privilégio.
Não gosto de amontoar links, gosto de os manter especiais e raros, por isso peço licença.

Desafio de palavras? Doze delas?
Cá vou eu!

Um beijo Luísa Gente.

gasolina disse...

Abssinto,

Obrigado.
Mas não lhe encontro tanto e tão pragmático.
É mais de "sentires".

Fica Bem, A.

gasolina disse...

ET,

Meu amigo!

Obrigado!
A ver se não me falta o pé para pôr as palavras em pé.

Beijinhos e tanta saudade das nossa conversas.
Como me fazes falta!

gasolina disse...

Amilcar,

Me encantas!

No se que te dicir, que hacer... que comment poetico!

Muchas gracias!
E mucha longevidad para tus palabras magicas.

Besos, besos

gasolina disse...

Benó,

É um verdadeiro prazer acolhê-la de novo na Árvore.

Muito obrigado por tudo quanto me diz, tentarei que assim seja.

Seja feliz!
Sim, muito feliz! Eu também faço por isso.

Um beijinho

gasolina disse...

Samuel,

E isso é bom, cum caneco?!

ABREIJOS!

gasolina disse...

Laura,

E é um sentir maravilhoso não é?

Dançar como se o infinito nos acolhesse.

Um beijo

gasolina disse...

Moonlight,

Também assim me sinto, não penses que tens essa exclusividade...

Um beijo enorme para ti

gasolina disse...

Sony,

Que lágrimas são essas?

Não te quero junto à Árvore senão a sorrir!
Eu estou aqui, sempre, as raízes são amarras, não me deixam ir!

Só o maldito tempo é que me escasseia, tanta correría mas também tantos projectos em cima da mesa!

Não parei, apenas abrandei o passo por aqui. Mas eu sou ágil e depressa apanho o passo. Uma quase formiguinha como tu, eheheh.

Eu também gosto de ti, como bem sabes. Tenho é saudades tuas, que posso fazer?!
Mas como te sei bem, fico bem.

Um beijo Formiguinha.
E obrigado pelo teu abraço tão apertado nessas palavras que me dás. Eu não o esqueço.

gasolina disse...

M.,

Achas que me escapavas?

No way!

E olha que não esperava que os pés me nascessem de novo para te responder. É como tu dizes: germinam. Como as palavras que crescem e crescem dentro de mim e tenho em sorte te ter para mas entenderes como ramos e folhas.

As vénias, essas faço-as para quem me merece, seja em árvore seja em dança.

Um beijo, M., dobrando-me perante ti.

marisa disse...

"as árvores morrem de pé", adoro esta frase. salvo erro, é o título de uma peça de teatro.

um beijo

marisa

gasolina disse...

Marisa,

É sim, acertaste.
E foi dita com mestria pela saudosa Sra.D.Palmira Bastos.

Um beijo