Todos os textos são originais e propriedade exclusiva do autor, Gasolina (C.G.) in Árvore das Palavras. Não são permitidas cópias ou transcrições no todo ou/e em partes do seu conteúdo ou outras menções sem expressa autorização do proprietário.

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2008

O canto do cisne



Estou bem. Bem comportada, bem vestida, bem perfumada, bem preparada para me fazer à estrada. Estou bem, já to disse, nada de repetições nas perguntas, sabes como isso me aborrece e não quero mais esse esforço de repuxar músculos do canto da boca até aos olhos, já me basta o que estes viram à custa de os rasgar na mágoa da realidade. Prefería que fizesses afirmações, declaradamente abrisses os braços ou até gritasses para embaraço meu saudades bradadas na singularidade de só a mim virem, de só nossas serem nossas, atropelares a minha fala enchendo-me de frases parvas e tontas, as que eu sempre esperei, as que tu sempre ouviste em primeiro lugar e depois aceitavas vaidoso ou concordavas porque era isso que eu esperava. Pergunto-me se as terás dito, se não terei sido eu a pôr-tas na boca e a pedir-te para mas dizeres.


Estou bem. Tão bem que até sorrio dos sorrisos que fiz quando te pensava, quando agradecida sentía os teus beijos salgados. A mim e a uma confraria, tudo dito de igual forma, aposto que no mesmo jeito de rosto cinéfilo a sussurrar minha querida, minha paixão, aquele silêncio quente que antecede a explosão de unir os lábios, sentir-lhe a polpa e achar-se única no mundo, no sol, na lua, no mar, ser tudo e parte de coisa nenhuma que tudo é demais para dois que se amam e nada chega para quem se quer, mas um amar e outro só achar é como dançar surdo à musica que se toca.


Estou bem, quero estar bem. Já sofri as acusações e até me defendi do que não fiz, já aceitei o teu silêncio e até compreendi as tuas evasões, entendi o teu ciúme, a tua crueldade, o teu egoísmo, as tuas verdades absolutas. E agora que me dizes que queres o melhor para mim estou bem, fico bem. Tu sabes e eu também.

16 comentários:

lamia disse...

Deve ser Peixes... ;o)

Tudo passa, nesta vida, não é?

Sophiamar disse...

Um post lindíssimo onde cada palavra me servia para dirigir a alguém. Há tanta hipocrisia, tanta falta de lealdade, tanta ingratidão no nosso quotidiano.

Obrigada por me teres trazido até aqui.

Foi bom! Muito bom mesmo.

Beijinhossss

Bom fim de semana!

Lu@r disse...

Se estás bem, também fico bem.

Beijo

gasolina disse...

Lamia,

Nem tudo.
Mas a dor ameniza e por vezes até nos habituamos a ela.

gasolina disse...

Sophiamar,

Obrigado eu por me teres ensinado o caminho até à tua casa (com a orientação da Aspásia).

É doloroso sabermos que a decepção não vem anunciada; talvez assim nos pudéssemso precaver...

Um beijinho e obrigado

gasolina disse...

Lu@r,

Bem ficaría se me dissesses onde estás.

Deste resto, sigo caminho.

Um beijo para ti e saudades.

Benó disse...

Pela primeira vez aqui estou e saio encantada com a sua prosa.
É tão bom viver, saber dar a volta às pedras que se nos deparam no caminho é o grande desafio do nosso quotidiano.
Um bom fim de semana e
Seja Feliz

Mateso disse...

Santo Deus, o tí tulo é por demais... o cisne canta antes de morrer...tal como saberás. Odette e Siegfried... ou antes Rothbarth?
Gostei do texto . Cadenciado e preciso.
Beijo.

pin gente disse...

a aspásia falou-me tanto deste blog... vim... hoje deixo prova.


como podes estar bem? eu estou tão mal... como consegues? fiz tudo o que fizeste... aceitei o silêncio... também quero estar bem,
mas não estou!

como amante da dança perdi-me também na imagem. é fantástica!

abraço
luísa

santiago disse...

estou bem.

estou bem...

quero convencer-me que sim...

gasolina disse...

Benó,

Muito obrigado por aqui vir à Árvore e pelas gentis palavras que nos deixa.

Tem razão! Por mais doloroso que seja o caminho e as decepções espreitem a cada pedra há que seguir em frente, queixo erguido e apreciar a vida.

Um beijo e seja feliz!

gasolina disse...

Mateso,

O titulo é o que é. Ou o que foi. Foi o canto do cisne quando tristemente se abre os olhos e se vê que a realidade é outra, mais pardacenta, mais crua.

Mas a vida está aí, TODA para ser vivida.

Beijinhos Mateso

gasolina disse...

Pin Gente,

As palavras servem mesmo para isso: para nos sentirmos bem, expurgarmos as mazelas da alma e bem perfumadas seguirmos caminho.
O mundo está aí para que nos apaixonemos por ele: vamos lá!

Fico muito feliz que gostes de Dança. Eu também gosto e da Aspásia nem se fala! A minha jardineira poetisa, Amiga nas horas de abandono.

Beijinhos Luisa.
Volta quando quiseres, és bem vinda

gasolina disse...

Santiago,

Claro que estás!
Convences-te e é bem verdade!

Um beijo

Dias disse...

Ler-te cronologicamente invertida resulta num vortice de agressividade...

Beijo

gasolina disse...

Dias,

... E isso é bom ou mau?

Beijo