Todos os textos são originais e propriedade exclusiva do autor, Gasolina (C.G.) in Árvore das Palavras. Não são permitidas cópias ou transcrições no todo ou/e em partes do seu conteúdo ou outras menções sem expressa autorização do proprietário.

domingo, 19 de julho de 2009

(Re)encontrei(-me)

Corri. Muito, muito, tanto até deixar lá atrás a pele e os ossos, depois o invisivel das memórias dos cheiros e dos sons e dos olhares, deixei o espaço nas costas que já não eram dorso e desfiz-me em perguntas até sobrar terra.
Só depois me lembrei que era uma árvore e não podía fugir.

15 comentários:

Teresa Durães disse...

esses reencontros dão-nos a definição de quem somos

isabel mendes ferreira disse...

assombroso este re.encontro.
insurrecto o destino da árvore.



belo.



bom regresso.

tiaselma.com disse...

Para a alegria de teus galhos e dos que se refazem à tua sombra,voltaste.

Era o Sol que te aguardava, sabias?

Beijocas e bem-vinda. Sempre.

Mateso disse...

mas as raízes ficaram, não ficaram?
Bj.

Gasolina disse...

Teresa,


Encontro muitas definições. Não me encaixo numa unica.

Gasolina disse...

Isabel Mendes Ferreira,

Obrigado.

Mas que fará a árvore quando tombar e das folhas caírem palavras sobre árvores que tenho nas raízes?

Gasolina disse...

Selma,

E tu sempre junto à árvore.

Obrigado.

E pelo sol que mandaste.


Beijo grande
(Talvez chova... o meu nariz diz que sim. Os meus olhos precisam de água)

Gasolina disse...

Mateso,

Ficaram sim, Querida Azul.

Ainda que fragilizadas. Mas hão-de nutrir-se de boas palavras como as tuas, como as de outros que são folhas desta árvore e a sombra há-de trazer serenidade.

Um beijo imenso.

triliti star disse...

também eu sou pinheiro e, de carrascas já secas

mas


as minhas folhas agulhas cheias de vida



cá muito em cima


quem lhes chega?


e deixam cair um beijo para ti

com o cheiro de todo o pinhal.

Vicktor disse...

Querida Gasolina

A cada novo (re)encontro mais forte ficas, mais forte fica a minha amizade por ti, mais forte fica o teu sentir...

A cada (re)encontro teu... reencontro os cruzamentos de nossas veredas de vida.

Beijinhos.

Laura disse...

Que as nossas palavras feito folhas te alimentem e te façam erguer para que não te esqueças como és grande.

Gasolina disse...

Trilitistar,

Toda a árvore num abraço se mela da seiva resinosa do pinhal que emprestas.


Um beijo grande

Gasolina disse...

VicKtor,

Como ramos que dependem da vida uns dos outros.

Há histórias e estórias, são cambiantes de verde na árvore.


Beijo, Querido Amigo

Gasolina disse...

Laura,

Não só me alimentas como enraizas e seguras.

Talvez seja do nó, talvez seja do que não se explica, talvez seja do talvez e nada mais tem que ter explicado.


Beijo a ti.

Papoila disse...

Forte és tu nestas palavras.

BF