Todos os textos são originais e propriedade exclusiva do autor, Gasolina (C.G.) in Árvore das Palavras. Não são permitidas cópias ou transcrições no todo ou/e em partes do seu conteúdo ou outras menções sem expressa autorização do proprietário.

sábado, 13 de junho de 2009

Parabéns

É mentira.

Digam o que disserem não acredito, não há a menor possibilidade de ter acontecido. Como podería? Falo com ele todos os dias, por vezes mais do que uma vez, escuto-lhe os receios, os anseios e quando não é ele que chega, um outro vem e se reflecte no vidro da janela a falar com o meu reflexo.

Cavaqueamos.

Admiramo-nos inconfessadamente. Recatadamente como uma admiração que se tem pelo outro mas não se quer dar a entender por parecermos tolos em permitirmo-nos sentir essa alegria única. Escrevemo-nos assiduamente, mesmo falando todos os dias, encontrámos a sublimação em repartir esta espécie de amor através das letras, assim parece que não nos viciámos e não estamos dependentes um do outro. Cobardemente.

Mas que interessa?

Se este é o nosso mundo, a nossa aldeia, o nosso Rio a chorar por nós. Não nos podemos condescender nas lágrimas próprias, deixamos a epifania para os outros. Eu nada lhe digo e ele cumpre igualmente a parte do acordo: Insatisfação, felizmente.

Por isso, repito, é mentira que tenha partido. Encontro-o em mim nos segundos que respiro a fingir que sou eu, ou ele, ou todos nós nos multiplos orgãos que pulsam, que desejam, que envelhecem precocemente a esgotar um raciocinio que tantas vezes condenamos, castigamos e absolvemos.


Pronto, só quería dizer Parabéns Fernando Pessoa.











Bibliografia: De luto por existir, O ano da morte de Ricardo Reis, O Guardador de rebanhos, O livro do desassossego.

10 comentários:

Fernando Vasconcelos disse...

Os poetas como Fernando Pessoa estão sempre connosco logo é verdade que é mentira :-) ... Poderia claro dizer o mesmo dos músicos no meu caso.

Gasolina disse...

Fernando,

Grato prazer ter-te aqui de novo.

E dizes bem, dos teus e meus músicos, que tanta alegria me dão.

Intemporalidades de génio.

Um beijo

Vicktor disse...

Querida Gasolina

Um embalo magnífico nas tuas belas palavras, como já vai sendo hábito...

O vício nas palavras é realmente indiscritível. A não ser...

...........................
Chegou de mansinho
Entrou sem bater na aldraba da porta
Silenciosamente
Instalou-se
Percorreu as veias e os vasos capilares
Conquistou todo o corpo
E o sentir

É o meu vício de Ti!
.............................


Beijinho.

tiaselma.com disse...

'No tempo em que festejavam o dia dos meus anos'... Esse tempo é sempre, poeta. Contigo faz anos a Poesia.

Primoroso, Gasolina.

Beijocas.

marisa disse...

Parabéns à altura do Poeta. Penso que ele iria gostar/gosta.
É com satisfação que constato que aqui (Alemanha) ele também está sendo descoberto como um dos grandes dos séc. XX.

beijo

marisa

f@ disse...

Parabéns a ti tb pelo post sublime e homenagem ao nosso poeta de eleição....

imenso beijinho

Gasolina disse...

VicKtor,

Obrigado.

Tudo o que dizes vai direitinho para o Pessoa, que ele é que o merece.


Um beijo grande

Gasolina disse...

Tia Selma,

Aquém do que ele merece. Mas sentidamente escrito por todos os meus eus.


Obrigado.

O beijo vai pelo oceano

Gasolina disse...

Marisa,

Que boa noticia.

Pessoa (e os seus heterónimos) é daqueles autores que se amam profundamente. Ou se abominam na mesma dose.

Com o passar do tempo este Pessoa(s) cada vez se revela mais a mim, se torna mais transparente e no entanto mais enigmático.

Obrigado Pézinhos.

Um beijo, um abraço

Gasolina disse...

F@,

Obrigado pelo carinho, mesmo.

Ele é inspirador.

Beijo grande Menina das Nuvens