Todos os textos são originais e propriedade exclusiva do autor, Gasolina (C.G.) in Árvore das Palavras. Não são permitidas cópias ou transcrições no todo ou/e em partes do seu conteúdo ou outras menções sem expressa autorização do proprietário.

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

Regresso à sala de espelhos

Entrou e dirigiu-se ao canto da sala, pousou a pequena toalha, os cd's, a joelheira e o pé elástico, dobrando-se pendente o torso pela cintura com os anéis vertebrais a estenderem-se por etapas, pernas hirtas, pés afastados à largura dos ombros.
Chegou a tempo, chegou adiantada, ainda não há cheiro de gente nem de música nem de dores de cansaço nem se multiplicam as imagens nas gotas de suor dos espelhos, só ela adiantada, só ela a comer o chão medindo o perímetro a passos largos nas nádegas apertadas e nas mãos cravadas na bacia, olhos baixos, o respeito obriga-a a não encarar a figura de cello que mantém ao longo dos corredores que vai desenhando cada vez mais veloz no labirinto das lembranças.
E depois lá: Ela atirada à imagem de negro, voile de saia que mexe depois de estática no combate do rosto, da linha dos braços compridos, do branco da pele do pescoço cavado no V do fato apertado nas costelas, nos mamilos e no esventrado das costas pontilhados de sinais. São marcos, são pelourinhos, são ferros que a queimaram de outras nascenças em que morreu por cada vez que se arrepiou, não são sinais, não são.
O reflexo grita atreve-te e ela abre os braços, as pernas de compasso desafiam a gravidade do instante, piruette, dupla, renversée, a tontura, o enjoo, a imagem, as imagens fragmentadas em muitos eus, muitos ela, ácidos venenosos, mancha de regresso, a imagem engole o figurino e o grito sai para dentro! Bem vinda, como demoraste a voltar.

29 comentários:

casa de passe disse...

o que os bailarinos sofrem!
mas pronto, quem corre de gosto não cansa. e eles correm mesmo de gosto. mas acho que se calhar são um bocadinho masoquistas. mas isto digo eu que sou inculto e nada percebo de danças. só uma vez fui ver um bailado e foi porque uma senhora onde a minha mulher trabalhava a dias lhe deu os bilhetes pois tinha tido um grande acidente e não podiam ir. fui e até adormeci. pronto, são gostos, eu não digo que é mau.

Mateso disse...

apenas para dizer que tenho tanto que ler que vou tentar por tudo em dia.
Bjinho

marisa disse...

fico muito, muito feliz por "ela", por ela ter regressado a algo que lhe faz bem.
beijo
marisa

poetaeusou . . . disse...

*
bailado estático,
multiplicando
paradas piruetas,
espelhando
reflexos invisíveis,
traçados a lápis
como estas palavras
abstractas
de não escritas . . .
,
espelhadas conchinhas, deixo,
,

pin gente disse...

eu aplaudo-te. espero que alguém aplauda a bailarina que regressa.

um beijo
luísa

observatory disse...

eu gosto tanto das tuas coisas

:)

cada vez melhor

observatory disse...

na verdade eu queria escrever outras coisas mas....
é melhor nao

beijos doces

Teresa Durães disse...

soltar, sempre!

Carla disse...

há regressos que apesar de demorados são mais do que necessários
beijos e boa semana

Mateso disse...

Sonhos...e vontades!
A hipótese na ponta de um aparo.As letras desenham a vontade a par do sonho.

Bj.

Estrela da Liberdade disse...

Demorei mas cheguei, a falta das tuas palavras.
Um beijo de quem já nada tem.
Jean

ASPÁSIA disse...

OLÁ GAS!

PARECE QUE A BAILARINA REGRESSOU À SALA DE ENSAIOS... SERÁ?
UM REGRESSO DIFÍCIL, DECERTO! MAS SE HOUVE VONTADE, SE ELA DECIDIU, ESTÁ DECIDIDO... APESAR DE TODOS OS FRAGMENTOS QUE POSSA VER NO ESPELHO!

DESEJO-LHE RÁPIDA RECORDAÇÃO DOS "PASSOS ESQUECIDOS" !

BEIJINHO

Arabica disse...

Escreves de tal forma que as palavras, ganhando formas, se desenrolam como cenas de um filme...



beijos e boa semana

poetaeusou . . . disse...

*
belo texto,
,
abstracto ?
surrealista ?
,
conchinhas
deixo,
,
*

Gasolina disse...

Casa de Passe,

Querido Avô Ernesto (passe a circunstância funesta em que se viu convidado), tem que concordar que ter o estofo de uma sala de espectáculos a acomodar o seu realíssimo traseiro enquanto dormita entre acordes e poses de cisne não é nada mau...

Beijo grande Avô

Gasolina disse...

Mateso,

Tens tempo, as letras não se baralham. Confundo-me mais eu...

Beijo no Azul

Gasolina disse...

Marisa,

Tanto bem.
Tanto.
Reajusto-me. Ainda com folgas aqui e ali, a vida é uma máquina de humores que se dilata e encolhe. E nem sempre a gosto.

Estou... Não digo, tu sabes.

Um beijo Querida Marisa do Reno

Gasolina disse...

PoetaEuSou,

Multiplos passos dançados tão só num mirada de espelhos.

BEI/de MARÉ

Gasolina disse...

Pin,

Muito obrigado.

Um vénia a quem aplaude.

Um beijo meu a L.

Gasolina disse...

Observatory,
(2em1)

E eu gosto das tuas, bem sabes.

Escrever outras coisas... desenhar outras coisas, fotografar outras coisas, compor muitas mais coisas.

Um beijo. De C. para C.

Gasolina disse...

Teresa,

Sempre.
Quando não o puder fazer estarei sem pés e sem mãos.

Gasolina disse...

Carla,

Este foi necessário mas tem muito mais de inesperado. E por isso tão saboroso.

Um beijo Carla, Semana fantástica!

Gasolina disse...

Mateso,

Esta é uma realidade.
O sonho foi descrevê-la.

Muito bom ter-te aqui comigo neste tempo. Lembro as tuas palavras a propósito de um salão de baile.

Um enorme beijo Mateso Azul

Gasolina disse...

Jean of Jeanest,

A falta de ti.
Nunca chegas tarde, chegas quando chegas TU. E por isso plena.

Abraço-te

Gasolina disse...

ASPÁSIA,

REGRESSO SIM.
PARA PASSAR OS MEUS PASSOS A OUTROS.
É BOM DAR, MUITO BOM.

E A TI DOU-TE UM BEIJO, UM ABRAÇO E UM SORRISO.

Gasolina disse...

Arabica,

Já me disseram que sou por vezes, demasiado descritiva... Mas nestes tempos creio que para mostrar as cenas do filme, só mesmo rasgando o peito e exibindo o coração a bater.

beijo, beijo

Gasolina disse...

PoetaEuSou,

Nã...

Realista. Impressionista.

Hoje não te mando Bei's.
Dou-te tudo: BEIJO de MARÉ

Abssinto disse...

A vida tortuosa!!

beijo

Gasolina disse...

Abssinto

Imensamente.

Por vezes nem precisava de ser tanto...

Um beijo A.