Todos os textos são originais e propriedade exclusiva do autor, Gasolina (C.G.) in Árvore das Palavras. Não são permitidas cópias ou transcrições no todo ou/e em partes do seu conteúdo ou outras menções sem expressa autorização do proprietário.

domingo, 8 de fevereiro de 2009

Óleo à espera de ti

Deram alguns passos atrás, vía-se melhor, depois aproximaram o rosto nos cantos, a rugosidade do óleo deixava aperceber a mão do artista, Espatulado? Parece-me. Queres sentar? Sentemo-nos. Ombro a ombro, o olhar a fazer o quadrado da moldura, Que achas que ele estava a sentir quando pintou isto? Não sei, mas tristeza decerto... Porquê? Repara nas cores, nos tons fechados muito próximo da terra, talvez uma saudade, saudade imensa acho, não se vê uma erva, uma flor, não há árvores, É um descampado, é normal não ter nada, Com um nú? Significa o despojamento! Pode ser só dramatismo... Também, há lá coisa mais dramática que a solidão? A falta de amor, de amar... Mas isso ele teve, repara nos braços traçados... É como se guardasse dentro do peito o que se foi. Ou o que não deixa entrar! Fechado ao amor, à vida!
Ele pousou a mão sobre a dela, ela olhou-o. Por alguns segundos deixaram o tempo suspenso no que poderíam ter dito, na confissão do mesmo. Mas levantaram-se e seguiram pelos corredores do Museu sem se deterem pela análise de mais quadro algum. No banco restou uma pouca de terra.



(in Telas, C.G. - Janeiro/2007)

20 comentários:

Abssinto disse...

Como respiras bem as palavras! Levíssimo ar.

bj

Gasolina disse...

Abssinto,

Grazzie, A!

Acho que estou a ficar velha... já nem me lembrava destes textos!

Beijo para ti

Fernando Vasconcelos disse...

excelente sem dúvida !

JC disse...

Os quadros que pintamos e as cores que neles utilizamos exprimem sempre o estado de espírito em que no encontramos e o que vai na nossa alma.
Podemos pintar imensos quadros sem termos telas, papel ou outros materiais de pintura, basta que a nossa imaginação funcione.
As cores fortes e quentes tranportam-nos para um mundo mais alegre onde nos apetece mais viver. Já basta a tristeza que por vezes nos assola.
Beijinhos

O QUATORZE disse...

Olá. Boa tarde
Continua com belos enxertos de achados.
Amizade
LUIS 14

triliti star disse...

sei, já quase não me lembro, mas sim, sei como é bom visitar exposições a dois.
tu também sabes.
ou inventaste.
adivinhaste?

não, tu sabes.







e no banco ficou um pouco de terra...

burro disse...

Por vezes pergunto-me se não será tempo perdido ir ver exposições. Se for bem acompanhado isso já é diferente.

escarlate.due disse...

interpretações...
gosto deste texto :)

poetaeusou . . . disse...

*
manifestos
gestos e pensares,
em tela traçado a dois,
,
brisas, deixo,
,
*

Arabica disse...

Gas


dentro e fora de museus, de casas, de corpos, tanta terra que vai ficando espalhada pelo soalho, em grãos invisiveis!

Gosto imenso de te ler!


Beijo e boa semana

Laura disse...

um dia destes mando-te o desenho que um dia fiz e que me faz lembrar este quadro.

um beijo a óleo, traçado a admiração.

Gasolina disse...

Fernando,

Muito obrigado pela melodia das tuas palavras.

Gasolina disse...

JC,

Concordo inteiramente contigo quanto ao grande plano que é a imaginação. Aí faz-se o que se quer, sejam desenhos, letras, danças.

Haja sempre para que não se definhe.

Beijos

Gasolina disse...

Luís XIV,

O maior achado aqui foi ter descoberto estas "Telas" guardadas num caderno no fundo de uma gaveta...

Fica bem!

Gasolina disse...

Tri,

Inventei.
Adivinhei.
Sei.

Mas esta é uma gravura com algum tempo.

Beijo

Gasolina disse...

Burro,

Olha que ficas muito bem perto da Árvore!
(Mas não comas as folhinhas, está bem?!)

Não, nunca será uma perda de tempo. Mesmo que se faça sózinho. Que nunca acaba por ser... as telas acompanham.

Gasolina disse...

Escarlate,

Obrigado.

Tem várias interpretações. E é bom sabê-las dos outros.

Gasolina disse...

Poeta Tu És,

Traços, riscos, improviso.

Tudo o que uma boa surpresa pode revelar... ou deixar suspenso.

BEI/de MARÉ

Gasolina disse...

Arabica,

É bem verdade.

Mas igualmente se recolhem esses grãos e se faz uma montanha dentro de nós.

Muito Obrigado pela cumplicidade de sentires.

Um beijo para ti

Gasolina disse...

Laura,

Fico à espera.
Seja quadro de palavras, de cores, dos teus gestos em palco.

Um beijo. A tons fortes.